Páginas

Pesquisar neste blog

2 de março de 2011

Uma homenagem ao meu querido Bil



Goiânia, quarta-feira, 02/03/11, 16:45. Cheguei da clínica veterinária há uma hora. Meu cão, o Bil, de 11 anos, estava com cinomose e com uma doença de carrapato e apesar de todo o tratamento a que o submetemos, o final trágico de sua história com a minha família aconteceu hoje: fui depois do almoço visitá-lo pela última vez e autorizar o médico a fazer sua eutanásia. Hoje com certeza é um dos piores dias da minha vida. A dor que estamos sentindo é terrível, assim como foi a notícia de que ele contraiu cinomose. O Bil ainda não havia sido imunizado contra essa doença. A lição que fica é: cuide bem do seu cachorro, informe-se nas clínicas sobre doenças e vacinas e nunca, nunca mesmo deixe de dar uma dose sequer da vacina contra cinomose a seu cão. Seu desleixo pode custar muito caro - tanto financeiramente como emocionalmente. E eu, infelizmente, agora passo a ser prova disso. 

O Bil me mostrou o que é o verdadeiro amor, o amor puro, sem interesse de qualquer tipo a não ser o de estar do lado da pessoa que se ama. Era a alegria da nossa casa. Agitado, estava sempre brincando comigo, correndo pra lá e pra cá, latindo para os pássaros nos fios de eletricidade. Era o único que sempre demonstrava alegria quando eu chegava e tristeza quando eu partia. Bastava me ver que vinha abanando o rabinho, me lambia e saía correndo para que eu corresse atrás dele... o amor que nutríamos um pelo outro foi algo sem igual na minha vida até conhecê-lo; nossa cumplicidade era tanta que todos meus amigos diziam que ele era meu filho. E a falta que isso tudo me faz desde já é que me deixa com a sensação de ter um enorme buraco no peito que nunca mais será preenchido. Compreensível, afinal, eu perdi o meu "filho". 

Não me arrependo nem um minuto de ter convivido durante 11 anos com o meu filhote e se pudesse voltar no tempo, com certeza faria algumas coisas de forma diferente com ele - a principal: não vacilar com vacinas tão importantes como a da cinomose. Você leitor não sabe com quanto pesar eu afirmo isso agora... Ame seu cachorro, pois quem ama cuida, e devemos cuidar de nossos pets como cuidamos de nossos filhos, afinal, a relação entre todos nós não é tão diferente assim: um cão é capaz de amar seu dono com a mesma intensidade que este o ama - ou até mais, como vemos em casos de donos irresponsáveis e displicentes com seus cães tão fiéis e carinhosos.

Amei você Bil, profundamente, e você fará muita falta nas nossas vidas. Obrigado por todos os momentos felizes que passamos juntos. Espero poder te encontrar "do outro lado"... Descanse em paz, meu filhote.

Mário Megatallica A.S.B.

9 comentários:

Jacqueline disse...

Oi Mario...
Sinto muitissimo por sua perda, ficamos sem chão mesmo, como tu disse é como perder um filho.
Apesar da dor, é muito importante o seu "alerta", não devemos vacilar mesmo com a saúde de nossos amigos de quatro patinhas.
Devemos ficar atentos a qualquer mudança de comportamento de nossos pets. Isso pode salvar suas vidas.
Força meu caro.
Abraços.

Fabi disse...

Um dor intensa e eterna.
Uma perda irreparável.

O Bilbo, iluminava a nossa casa.
Um amor insubstituível, incondicional.

Fica com Deus, meu AMOR LINDO...
A saudade fará parte de cada segundo de nossas vidas.
Você é único.....SEMPRE ÚNICO...MEU BILBO...NOSSO BILBO.

Projeto Hammã disse...

Querido amigo,

Sinto muito pela perda de seu melhor amigo e confraternizo com seus sentimentos.Não tenho um que criei desde filhote,tenho vários desses que tiramos do abandono e do sofrimento,e cada um é único para mim,cada um que se vai,é uma dor imensurável que fica.É uma dor que excede o entendimento humano...fique com o conforto de Deus amigo.Um grande abraço e volte logo para os que precisam de você.
Meibel

protetora.animais disse...

Querido Mário.
Muito triste. Realmente é uma dor imensa. Não sabemos como fazer para deixá-la um pouco amena.
Esse buraco não será preenchido, pois o Bil é insubstituível, mas agora se apegue aos outros tantos que precisam de você, aos que sofrem com maus tratos, aos incalculáveis abandonados.
Sinto muito por você. Sei que dói, pois ao ler suas palavras fiquei emocionada - me lembrei dos meus que já viraram estrelinhas.
Fique em paz, pois os animais vão pro céu e lá ele está em ótima companhia.
Um enorme e carinhoso abraço.
Jaia N. Guerra

Marcelo Zema disse...

Eu conheci o Bil a pouco tempo e vi que ele era um cahorro comportado e dócil. Era bem cuidado pelo Mário. Os amigos sabia a hora que ia passear com ele. Devia ser um cachorro muito brincalhão mesmo, pois esta raça gosta de brinca e tinha uma aparência de novo, pois o pêlo era bonito e ñ aparentava velhice.Mas, deve ser o resultado da doença. Realmente é muita dor, tendo convivido 11 anos com o amigo fiel. Conviver com outro cão da mesma raça e cor pra confortar um pouco a dor,não substituindo, mas para poder continuar a vida seria uma solução. Abraço.

Mário disse...

Um mês sem vc, Billy Bil... ainda sinto muita falta, muita saudade e um vazio no peito... vc é insubstituível! Espero q esteja bem, onde quer q esteja...

Audio & Rock N Roll disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mario Megatallica disse...

Bill, hj faz 90 dias q vc nos deixou. Pra mim ainda parece q foi ontem... eu sinto muito saudade da sua companhia, sinto um aperto no peito toda vez q vejo uma foto sua, quando me lembro das nossas brincadeiras juntos... a sua partida é irreparável; vc é insubstituível. Sinto q vou sentir um vazio pela sua falta por muito, muito tempo ainda e saiba q realmente vc foi tão especial, único, q o seu lugar no meu coração sempre será cativo. Vc deixou uma grande lição pra mim e estou tentando levá-la adiante. Muito obrigado por ter dividido tantos momentos bons comigo e minha família, meu Billy Bil... vc é eterno.

Projeto Hammã disse...

Nos confraternizamos com o seu sentimento Mário.Certamente Bill te ensinou muito!E quem convive com você tem a certeza disso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...